Complot

Este blogue nada tem de original. Fala de assuntos diversos como a política nacional ou internacional. Levanta questões sobre a sociedade moderna. No entanto, pelo seu título - Complot -, algo está submerso, mensagens codificadas que se encontram no meio de inocentes textos. Eis o desafio do século: descobri-las...

A minha fotografia
Nome:
Localização: Praia da Vitória, Terceira, Portugal

domingo, agosto 26, 2012

A oposição vai fazer-vos bem



            A grande porta pela qual Carlos César se ia despedir da vida política açoriana - e aclamado por quase toda a população - vai mingando de dia para dia, à medida que a verdade sobre as famosas contas dos Açores vai saindo a público. Tal como no continente, depois do regabofe socialista no esbanjamento de dinheiro, alguém vai ter de pagar a fatura. Já se percebeu quem vai tomar conta da casa. Dia 14 de Outubro, oficializa-se o ato de pagamento. 
Lembram-se da frase “Na região, manda os que cá estão”? Lembram-se de Sérgio Ávila e Vasco Cordeiro a clamar como a República não tinha de se imiscuir na vida política dos Açores? Lembram-se de como os socialistas insistiam no perigo que constituía qualquer acordo com a República com vista ao saneamento das contas públicas da Região? Entre a demagogia típica de pré-campanha e a realidade está um memorando de entendimento; assinado pelo PS. 
Os Açores não são a Madeira, já conhecemos a cantiga, mas as agências de Rating já tinham colocado Portugal no lixo, inclusive as ilhas adjacentes. Por isso, para financiar a economia da Região e pagar as obrigações já acumuladas era preciso a ajuda de alguma instituição. Como a torneira da banca estrangeira secou, pede-se ajuda à Republica; aquela de quem os socialistas diziam tão mal há dias atrás. 
O PS bem pode renovar as listas e apresentar os independentes que quiser que a margem de manobra para Vasco Cordeiro se está a esgotar. Ainda há pouco, o PS pretendia que as eleições fossem o mais tarde possível para que se conhecesse a posição de cada partido para o Orçamento de 2013. Mas para assinatura do Memorando ninguém foi ouvido, nem o próprio candidato socialista. E é bom que se perceba que o futuro Governo Regional estará refém da assinatura de Sérgio Ávila. Acredito que o PS, com esta novidade, voltou a mudar de posição e que se fosse possível antecipar as eleições já para o próximo Domingo aceitava logo de seguida. Quanto mais tempo passar e mais se souber, pior serão os resultados eleitorais para o PS.

Secretários assim nunca mais
Estes são tempos de balanço governativo. A Secretária Regional da Solidariedade Social, Ana Paula Marques, ficará na história como a governante mais altruísta de sempre. Criou uma bolsa de estudo especialmente para o filho obter a licença de pilotagem de aeronaves e, provavelmente, por causa da sua devoção religiosa aceitou sempre esmolas do contribuinte nas ajudas de custo inerentes à sua “santa” participação nas procissões. Espera-se que a senhora nunca mais volte a pisar qualquer palco político.
A Secretária Regional da Educação, Cláudia Cardoso, teve a coragem de acabar com as PASE, colocando os alunos açorianos no mesmo patamar avaliativo dos restantes alunos portugueses. Organizou com mérito o 2º Campeonato do Mundo de Atletismo Síndrome de Down. Podia acabar em beleza, mas a sua veia política mexeu-lhe no ego e lá foi “arranjando” mais vagas de professores (números, no entanto, não muito diferentes dos anos anteriores). As pré-campanhas são mesmo assim, mas não era preciso emitir um comunicado a dizer que se o PSD e o CDS ganhassem as eleições seguiriam os passos do Ministério de Nuno Crato. Onde está o sentido de Estado? A Secretaria da Educação é uma instituição que merece respeito, não um palanque para a baixa política.
Sobre Sérgio Ávila tudo já foi dito. De negação em negação até à derrota final.

O deputado do Corvo
Alguém duvida da performance do deputado do PPM, Paulo Estevão, na defesa dos interesses do Corvo? Alguns mentecaptos socialistas acham impossível que alguém de fora possa dar um contributo cívico e político em prol da terra que, apesar de não ser sua, adotou, respeita e ama. Berta Cabral fez bem em apoiar a recandidatura do deputado monárquico porque fez o que o PS andou anos a negar aos seus deputados: pôr a sua ilha à frente dos interesses do partido. 

            A mania dos independentes
            A ânsia de Vasco Cordeiro em agradar é tão grande que se estranha o facto de não ter convidado o Pauleta ou a Nelly Furtado para as listas a deputado. O apresentador de TV Pedro Moura foi a personalidade mediática mais acarinhada pela população nos tempos conturbados da RTP Açores. Artigos de imprensa laudatórios, páginas Facebook em defesa do programa Bom Dia Açores. Como forma de agradecer esses gestos de simpatia, Pedro Moura listou-se como deputado no PS em São Miguel. Já ninguém se indigna?

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial