Complot

Este blogue nada tem de original. Fala de assuntos diversos como a política nacional ou internacional. Levanta questões sobre a sociedade moderna. No entanto, pelo seu título - Complot -, algo está submerso, mensagens codificadas que se encontram no meio de inocentes textos. Eis o desafio do século: descobri-las...

A minha fotografia
Nome:
Localização: Praia da Vitória, Terceira, Portugal

quinta-feira, fevereiro 11, 2010

Caro Tiago R,

Antes de mais, é preciso esclarecer que não sou contra as touradas onde a tradição já existe, mas também não sou nenhum aficionado. Somente dou a minha opinião, não a imponho.
No meu perfil é dito que sou da Praia da Vitória, por isso sim, já vi touradas à corda. Nunca vi touradas de praça ao vivo e nem tenciono ver.

Agora, a lógica comunista em relação a esse assunto desconcerta-me: as touradas à corda não serão elas também fomentadoras de violência não só sobre o animal como também sobre o homem? Não háverá o perigo de as crianças assistirem também, e ao pé da sua casa, a “um espectáculo que é, pela sua natureza, sangrento" como diz Aníbal Pires?

Que eu saiba, o Governo Regional pode ter algo a dizer sobre programas de tauromaquia emitidos pela RTP Açores (o director da estação regional já teve de se deslocar à Assembleia dos Açores para dar satisfações, mas estas de outra natureza).

A grande diferença é que quem vai às touradas de Praça é quem quer e quem pode. Na rua, para além do transtorno que acarreta a quem não gosta de assistir mas nada pode fazer, é de considerar que existe uma certa promoção gratuita e não controlada da violência (às tantas, dir-me-ão, quem não gosta que saia de casa ou feche as janelas e as cortinas quando houver tourada na rua).

Mas, pergunto, naquilo que defende o PC Açores, não haverá, talvez de forma inconsciente, uma abordagem populista por causa do receio de que o proletariado terceirense se insurja contra essa proposta e penalize o partido nas urnas?

Acho que não me chamou de tolo, mas sim, Tiago, tomara eu que o comunismo deixasse de existir em Portugal, tal como aconteceu noutros países da Europa. Mas este rectângulo – para infelicidade minha - ainda é um óptimo reduto para esta ideologia que para mim morreu quando percebi (não vou falar nas experiências sociais que já mataram milhões de pessoas, nem em países como Cuba ou Coreia do Norte) que o Homem não quer ser igual ao outro: anseia ser melhor e ter mais do que o outro. E só com o Capitalismo se consegue emancipar as pessoas.
Henrique Raposo

1 Comentários:

Blogger Tiago R. disse...

Só uma nota: O Director da RTP/A foi ouvido no Parlamento no âmbito de uma audição anual obrigatória, habitual.Era só que faltava o Governo Regional (que é um mero órgão executivo, sem competências políticas) ir falar com o Director da RTP/A sobre o que esta transmite ou não! Já sabemos que os socialistas gostam de controlar a comunicação social mas... haja decência!

Devia agradecer aos comunistas.
Se não fosse o PCP quem é que ia odiar assim?
(não pensei que ainda existisse este grau de primarismo...)

10:22 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial