Complot

Este blogue nada tem de original. Fala de assuntos diversos como a política nacional ou internacional. Levanta questões sobre a sociedade moderna. No entanto, pelo seu título - Complot -, algo está submerso, mensagens codificadas que se encontram no meio de inocentes textos. Eis o desafio do século: descobri-las...

A minha fotografia
Nome:
Localização: Praia da Vitória, Terceira, Portugal

terça-feira, dezembro 07, 2010

Educação - dados da OCDE

No dia em que é publicado o meu texto (DI) sobre problemas relevantes no sector da Educação em Portugal, a OCDE mostra uma evolução "impressionante" do desempenho dos alunos portugueses.
Estamos aproximarmo-nos da média dos países que participam no programa PISA, o que é muito positivo. Mas como escrevi mais abaixo, isto é uma corrida contra o relógio. Por enquanto estamos ao nível do México, do Chile ou de Israel.

Eis os países com melhor desempenho: Hong-Kong, Singapura, Canadá, Nova Zelândia, Japão e Austrália. Holanda, Bélgica, Noruega, Estónia, Suíça, Polónia, Islândia e Liechtenstein.

Reconheço que alguns dados apresentados vão de encontro ao que afirmei na minha crónica. O facto de trabalhar como professor nos Açores pode deturpar o sentido da realidade evolutiva do panorama educativo em Portugal. Será que se pode comprar o desempenho escolar dos alunos açorianos com os do continente?

2 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Paulo, gosto muito do seu blogue e leio os posts com frequência, apesar de não comentar. Contudo, há uma coisa que tenho de corrigir neste seu último post. Quando diz «Reconheço que alguns dados apresentados vão de encontro ao que afirmei na minha crónica.», não está correcta a utilização de «vão de encontro a», uma vez que o que quer dizer é exactamente o contrário. «Vão de encontro a» significa que contrariam, colidem. «Vão ao encontro de» é que quer dizer confirmam, comprovam. Peço desculpa pelo atrevimento, mas sou professora de português e não resisto a corrigir tudo o que aparece à minha frente. Continue o bom trabalho!

11:23 da tarde  
Blogger Paulo Noval disse...

Cara professora,

Como professor de português, reitero a minha frase, pois os dados da OCDE, que acabaram por surpreender tudo e todos, contradizem em certa medida a minha perpectiva sobre a situação do ensino no país.

Até agora, mesmo que os dados sejam positivos, estes parecem-me que parecem num momento bastante contraditório. Nunca houve tanta instabilidade e tanto sentimento de insegurança e de desvalorização da escola como agora. E mesmo assim, os resultados são muito favoráveis. Estou nitidamente intrigado.

Há também outro factor: como trabalho nos Açores, a realidade pode conter diferenças com a continental. Mas pelo que sei dos colegas do continente, as coisas não estão boas. Como ficamos então? Este bem pode ser um novo mistério. Veremos daqui três anos, com os resultados dos novos PISA se mantemos este nível de progressão ou se foi meramente "accidental".

12:09 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial