Complot

Este blogue nada tem de original. Fala de assuntos diversos como a política nacional ou internacional. Levanta questões sobre a sociedade moderna. No entanto, pelo seu título - Complot -, algo está submerso, mensagens codificadas que se encontram no meio de inocentes textos. Eis o desafio do século: descobri-las...

A minha fotografia
Nome:
Localização: Praia da Vitória, Terceira, Portugal

quarta-feira, junho 30, 2010

O melhor do mundial

Agora que Portugal volta para casa, começa o melhor do Mundial: o campeonato de bocas, indirectas e caralhadas entre jogadores, treinadores, membros da federação e comentadores especialistas em política e futebol!
E isto tudo sem vuvuzelas!

"Queremos sangue!"

Triste o trabalho dos jornalistas a seguir ao jogo da selecção contra a Espanha: Queremos sangue!
Alguém duvida que os jogadores não queriam ganhar? Alguém duvida de Ronaldo? Não conseguiram porque a estratégia de jogo foi errada e porque a Espanha foi melhor. As coisas são simples de perceber. Não há "fantasmas"

segunda-feira, junho 28, 2010

Sanjoaninas 2010

O experimentalismo continua e não há meio de encontrar um formato de sucesso.
A 3/4 dias de acabar, já a comissão dava nota positiva ao evento. Isso é que é optimismo.
Nos próximos dias, veremos na comunicação social o que dirão comentadores interessados e o povo em geral.
Mas há uma razão pelo facto de as pessoas exigirem cada vez mais das Sanjoaninas: durante muitos anos, estas eram as únicas grandes festas que existiam na ilha. As Festas da Praia cresceram e afirmaram-se rapidamente no contexto regional, encontrando o formato que se adequa perfeitamente ao concelho e tem-se verificado uma consistência na programação e nos eventos organizados.
Já agora: um festa desta dimensão (Sanjoaninas) que não acaba com fogo-de-artifício é imperdoável. Havia onde poupar para que a pirotecnia acontecesse. Nas próximas semanas, saberemos onde.

sábado, junho 26, 2010

Camaradas comunistas

Férias só na Coreia do Norte

Ver em baixo um documentário de um canal brasileiro em 6 partes aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=fe15rSI8HtA&feature=related

Socialismo 3º via

"Antigo assessor do Governo vende chips que serão usados nas SCUT"

As alternativas a Cavaco Silva

O que fez Cavaco Silva para impedir que a situação fosse insustentável?» – Manuel Alegre

«Presidente da República deve dar sugestões úteis e construtivas» – Mário Soares

Sensação de déjà vu. Esta parece-me ser a estratégia que tanto criticaram em Ferreira Leite.

sexta-feira, junho 25, 2010

A camisola da selecção banida

O caso da proibição da ostentação da camisola da selecção portuguesa por um miúdo filho de emigrantes portugueses em França teria outra repercussão na imprensa francesa se o caso tivesse acontecido com um magrebino.
Este caso até parece ser de menor interesse, mas é preciso perceber essa susceptibilidade francesa que leva os americanos a chamá-los de assholes.
Nasci e vivi muitos anos em França. Também fui emigrante e sei que tipo de pressão existe sobre "quem não é de cá".
Ler esta carta do Embaixador Seixas da Costa.

quarta-feira, junho 23, 2010

Grande América


terça-feira, junho 22, 2010

Música para os meus ouvidos


Primeiro álbum a solo de Slash.

domingo, junho 20, 2010

Paraíso Perdido T2C32




O bem mais precioso do mundo

Portugal não tem petróleo, mas viveu durante muitos anos como se fosse uma Arábia Saudita. Reconheço que este país não é exemplo para nada porque só uma ínfima classe de privilegiados, nomeadamente a realeza saudita, é que beneficia com os lucros do ouro negro. A restante população agarra-se à religião como âncora de socorro e vai vivendo com a “cabeça entre as orelhas”.

Pois bem, Portugal não tem petróleo mas os dinheiros públicos são uma fonte de riqueza parecida. Como se tem visto, só alguns privilegiados é que beneficiaram desses dinheiros públicos. E, tal como o petróleo, esta fonte está em vias de secar.

O nosso ouro negro é o dinheiro dos contribuintes seja ele oriundo do Orçamento do Estado ou das câmaras, seja ele oriundo de Bruxelas. Infelizmente, e mais uma vez, foram precisas instituições internacionais dizerem-nos que era urgente parar de gastar à toa ao invés de sermos nós próprios a cortar um mal emergente que quase todos negavam existir.

Reformar aos bocadinhos

Desde que os partidos políticos perceberam à força que o país tinha de mudar de vida que todas as semanas aparecem propostas no sentido de reduzir o despesismo público. Da redução dos salários dos políticos, à extinção dos governadores civis, de um momento para o outro descobriu-se que o país tinha gente e instituições dispensáveis que só traziam desperdício à República e, por conseguinte, podem muito bem desaparecer porque não fazem falta nenhuma.

Já muito se escreveu sobre esta enumeração de boas intenções mas inconsequentes quando se trata de resolver o verdadeiro problema de Portugal. Mas o desespero bateu à porta dos nossas governantes e, tal como um incêndio que deflagrou numa casa, deve-se salvar das chamas o que é realmente indispensável. O resto há-de se ver.

Para quem defende que nos momentos mais críticos é que aparecem os grandes estadistas, podemos ver que estamos muito mal servidos com os actuais governantes em funções.

Cada vez mais me mentalizo que até eu dava para político. E quando se pensa assim é porque algo está mesmo mal.







O casulo da maioria

Estou preocupado com a maioria absoluta que governa os Açores. O mal deve ser meu. Durante os plenários mensais que ocorrem na Assembleia, na Horta, as propostas legislativas com forte impacto no arquipélago são aprovadas solitariamente pelo Partido Socialista.

Será normal ter toda a oposição, da Esquerda à Direita, unida contra uma determinada proposta, como o PROTA, por exemplo? Será normal que só os deputados do PS tenham percebido que o discurso das passagens aéreas por cem euros, proferido por Carlos César, não era como a maioria dos açorianos pensava? Será normal que só o Secretário da Saúde é que seja o único governante a impor cortes sérios nas despesas e que os outros Secretários Regionais não tomem igual iniciativa? Será normal que o PS se junte ao coro de protesto dos deputados regionais sobre o suposto desmantelamento da RTP Açores, sem propor em alternativa que o Governo Regional tome conta daquele canal televisivo? Afinal, para certas conveniências, parece que dizer mal do centralismo cego de Lisboa tem virtudes terapêuticas.

O povo diz que mais vale só do que mal acompanhado. O problema é quando as decisões unilaterais arrastam com elas toda uma população.






Salve-se quem puder

Gostava que me tirassem algumas dúvidas. Por que razão os ricos do nosso país fazem questão que os seus filhos estudem em escolas cujas propinas são caríssimas e o ensino é exigente, obrigando inclusivamente os alunos a usarem uniforme? Outra dúvida: por que razão há cada vez mais escolas privadas a abrirem em Portugal se a pobreza está aumentar?

Eu sei, vão chamar-me de cínico, pelo facto de eu saber as respostas. Estava só a armar-me em Sócrates, o filósofo. Mas não se enganem: os conspiradores da educação andam por aí e o seu plano maquiavélico para dar cabo da educação está a resultar plenamente. Basta ler a última pérola da ainda Ministra da Educação a propósito da famosa medida que permite aos alunos do 8º ano poderem passar directamente para o 10º: Diz ela como se servisse de consolo aos mais cépticos: “é quase impossível estes alunos serem bem-sucedidos”.

sábado, junho 19, 2010

Adieu, camarade


Muitas noites passei contigo. Simbolizas o que mais impossível podia encontrar num Homem: as suas convicções pessoais irredutíveis que sempre me chocaram, aliadas a um talento literário extraordinário.
De tantos autores internacionais que li, encontrei em Portugal aquele que mais me marcou.
Foste um comunista dum raio e um raio dum escritor

Merci

O homem que simboliza a decadência de Sócrates

Por causa de energúmenos como este senhor é que as pessoas dizem que eles (políticos) são todos iguais.

quinta-feira, junho 17, 2010

Porreiro, pá

Uma opção da Meo consegue eliminar o som irritante das vuvuzelas.

Ver como se faz aqui.

Isso não se faz

"Apoios sociais vão acabar para famílias com mais de 100 mil euros em dinheiro e acções

As pessoas que estão a receber rendimento social de inserção (395 mil), subsídio social de desemprego (120 mil pessoas) ou abono de família (1,7 milhões de agregados) verão as suas prestações serem reavaliadas à luz das novas regras ontem publicadas e que entram em vigor a 1 de Agosto."

Para os ferrenhos desfensores do RSI - e outros apoios do género - esta notícia deve doer.

quarta-feira, junho 16, 2010

As SCUT são como os subsísidios...

depois de entrarem em vigor ninguém as recusa.
Era tão fácil dizer que as auto-estradas são para pagar onde quer que estejam e ponto final.
Mas não. Abriram-se precedentes, por isso será muito difícil resolver o problema sem causar desigualdades entre as regiões do país.
Eu dava cinco anos ao governo para renovar as estradas nacionais para permitir uma alternativa viável e segura e, decorrido o prazo, as SCUT acabavam de vez, dando lugar a auto-estradas pagas (utilizador=pagador) e até se conseguia preços acessíveis.

Eu passo-me

Duas pérolas sobre o que diz a ainda Ministra da Educação ao jornal I acerca da famosa medida que possibilita aos alunos do 8º ano poderem passar directamente para o 10º ano:
  • Essa medida é transitória para que esses alunos não sejam tentados pelo abadono escolar (tentando levar a sério esta decisão, há sem dúvidas discriminação para com os outros que não terão as mesmas hipóteses).
  • "Isabel Alçada frisou também que não será fácil, aliás "é quase impossível", estes alunos serem bem-sucedidos" (é preciso ter descaramento para fazer uma afirmação dessas).

Já nem preciso de explicar a quão ridículo se chegou com este governo; basta ler ou ouvir o que os próprios intervenientes dizem.

segunda-feira, junho 14, 2010

A direita que não interessa

Continua alguma Direita mais consevadora zangada com Cavaco Silva.
Querem mesmo um outro candidato de Direita para a presidência da República só por causa da lei do casamento Gay que foi promulgada.
Boa sorte.
Texto memorável de Clara Ferreira Alves na sua crónica semanal do Expresso.
Boa explicação do que vai acontecer dentro em breve não só em Portugal mas também noutros países. só não gostei do tom. Pelo facto de a conhecer, acho que o tom do texto é pessimista e derrotista em relação à Direita que está para alcançar o poder.

segunda-feira, junho 07, 2010

A conspiração da Educação

"Uma escola descentrada da sala de aula, em que os alunos se espalham por espaços informais, com os seus computadores portáteis, cruzando-se com os professores na biblioteca e discutindo projectos - é esta a visão que a Parque Escolar tem para o ensino em Portugal."

Este texto é a explicação do que pretendem fazer com a Educação me Portugal. Eu sei: à primeira parece revolucionário, mas, por favor, leiam a reportagem toda e pensem; pensem na nossa realidade, não no filme que os conspiradores fizeram na cabeça ao criar esta projecto educativo.

domingo, junho 06, 2010

Paraíso Perdido


Tirar aos ricos, aos pobres…

Há uns meses atrás, Manuela Ferreira Leite, ainda era Presidente do PSD, tivera uma tirada que indignara toda a Esquerda. Dizia ela, com cinismo, que perante os problemas que o país enfrentava – e que como se sabe pioraram - mais valia suspender a Democracia em Portugal por seis meses.


O ainda Ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, a propósito da polémica sobre a constitucionalidade ou não da retroactividade dos impostos defendeu que esta é “um princípio protegido na Constituição mas não é um princípio absoluto que se sobreponha ao bem público e ao carácter imprescindível e de emergência". De forma mais pomposa, defende a mesma a coisa que Ferreira Leite. A única diferença é que a senhora ironizava e o ainda ministro acredita desesperadamente no que disse.


Mal de mim juntar-me ao coro da extrema-esquerda. O que se passa é que os sinais são por de mais evidentes: a nossa Constituição não serve os interesses do país nesta conjuntura social, económica e política do século XXI. É preciso mudar a Constituição. E, pelas declarações proferidas pelos políticos empenhados em mudar alguma coisa em Portugal, parece que essa medida torna-se urgente.


Para resolver a crise financeira e económica que atravessamos é necessário recorrer a todas as medidas apresentadas por todos os partidos. Concordo que se deva poupar os socialmente mais desfavorecidos deste esforço nacional; concordo que seja preciso taxar mais os produtos de luxo e os mais altos rendimentos; concordo que seja preciso incentivar à poupança e à contenção da despesa pública; concordo que todos, proporcionalmente às suas possibilidades, devam ajudar a resolver a insolvência do país. Na verdade, todos os partidos têm um contributo positivo nesta matéria. Concordo com tudo, mas considero que estas medidas devam ser temporárias devidamente planeadas e explicadas aos portugueses.


Porque estas medidas só resolvem o problema no seu curto prazo. A sustentabilidade do país exige reformas que só a Direita pode fazer. O que actualmente se vislumbra é um querer poupar a todo o custo e as implicações futuras poderão ser dramáticas para viabilidade da nossa Nação. Os mais recentes anúncios feitos pela Ministra da Educação são exemplos do que poderá advir se deixarmos este governo continuar em funções por mais tempo.


…e às crianças

Dantes, eu não tinha dúvidas que qualquer responsável no Ministério da Educação cumpria as suas funções de boa-fé, com intenções genuínas de quem quer melhorar o sistema educativo. Dantes, compreendia que a ideologia política podia interferir com a tomada das medidas certas para melhorar o nosso sistema de ensino. Havia um problema político que era passível de ser resolvido com outros governantes. Faltava só encontrar os políticos certos para reformar com sucesso a Educação em Portugal


Mas os anos passam e tudo piora. Não há medida legislativa que pouco depois de ser implementada não seja comprovada como inútil ou perniciosa. Não há reforma que os sindicatos dos professores não ponham em tribunal e cuja sentença lhes seja favorável. Dantes, eu não duvidava do Ministério da Educação. Agora, acho que existe mesmo uma conspiração dentro do Ministério para dar cabo das nossas escolas e dos seus intervenientes.


A ainda Ministra disse que era preciso fechar 500 escolas. Não disse quais nem onde. Veio com a conversa do costume da pedagogia sustentada por estatísticas manhosas que defendem que as escolas com poucos alunos têm mais taxas de insucesso que as grandes. À primeira, e com os devidos argumentos, parece sempre positivo. Mas não. Não é positivo. No dia seguinte, já dizia que o enceramento não seria feito de forma cega e que as câmaras municipais seriam ouvidas. Pergunta: então, como é que se chega ao número de 500 escolas por encerrar se ainda falta contabilizar as escolas que podem encerrar sem prejuízo dos alunos, dos professores e funcionários? Já agora: por que não encerrar todos os municípios e concelhos do interior do país?


Disse também a ainda Ministra que os alunos podem fazer uns exames no 8º ano e ficam com o terceiro ciclo completo, podendo aceder directamente ao 10º ano. Mas que porcaria é essa? Preciso de explicar por que razão é um absurdo e um embuste aos alunos?





Confissão

Muitos me criticam o tom severo com que tenho escrito nos últimos tempos. Mas eu pergunto: não vêem o que se está a passar? Vocês não vêem que, no ano em que se festeja o centenário da República, a nossa República está a definhar? Não vêem que Portugal deixou de ser soberano e quem manda verdadeiramente é a União Europeia, o FMI (de quem temos um medo medonho) e as agências de rating?


A culpa é minha? A culpa é sua? Ou a culpa é de quem manda neste país?

Contra o que parece óbvio

Alguma vez a Esquerda se concentrará numa manifestação em favor de Israel?

sexta-feira, junho 04, 2010

Meu rico país, minha rica educação

Alunos retidos no 8º ano podem concluir de imediato o terceiro ciclo realizando exames.

quinta-feira, junho 03, 2010

A Carla e o Luís

As eleições internas que decorreram no PSD de Angra integram a normalidade processual definida pelos estatutos do partido.

Antes do final deste ano, o mesmo acto eleitoral decorrerá no PSD da Praia da Vitória, conforme a praxis rotineira do PSD Terceira.

Eu como muitos achamos que estas eleições deveriam ter ocorrido há mais tempo, mais precisamente logo após as eleições autárquicas. Era preciso reconfirmar ou não as lideranças após os maus resultados obtidos nos dois concelhos e, provavelmente, a derrota de Carla Bretão demonstra a insatisfação dos militantes de Angra quanto à sua liderança. Como diz o povo: “mais vale tarde do que nunca”. Provavelmente, esta vitória incentivará alguém a criar uma lista para a Praia, recusando assim unanimismos sob a forma de uma lista única.

A Carla Bretão continua legitimamente (após substituição do querido Costa Neves), e bem, como deputada. Luís Rendeiro tem a possibilidade de ascender nas responsabilidades do partido, mas espera-o uma liderança na concelhia política prolongada e difícil. Cumpriu-se a Democracia interna.

Um reparo interessante: Luís Rendeiro tem 32 anos e Carla Bretão 35.

Barracada nos estágios do Estado

O jornal I noticia que os estágios criados pelo Estado dirigidos a jovens com formação são alvos de inúmeras reclamações (24 mil).
As razões que levaram a tantas reclamações são dignas de um país do terceiro mundo.
Mais uma boa intenção que se transforma num viveiro de desigualdade e injustiça.

quarta-feira, junho 02, 2010

Deixa-los queimar em lume brando

Passos Coelho defende que deve haver remodelação no governo e uma revisão do programa socialista.
Se eu não gostasse dele, diria que está tolo.

terça-feira, junho 01, 2010

Nem que se tirasse o dinheiro todo aos ricos

O problema estrutural do país se resolvia.
Os portugueses já entenderam que as propostas do PCP não passam de revolucionárias.

Começa a guerrilha interna

  • Paulo Pedroso compreende a reacção de Soares apesar de a considerar excessiva.
  • Vítor Ramalho diz que o tempo virá dar razão a Soares.

Entretanto, ainda não houve nenhuma reacção de Alegre ao apoio formal do PS à sua candidatura.